Looking for Something?

Laranjeiras: Confeitaria Itajaí

Author:
confeitariaitajai1

Sempre passo em frente à Confeitaria Itajaí de Laranjeiras e sempre me encanta aquela vibe de padaria à moda antiga. Não uma imitação de moda antiga, como a gente costuma ver por aí, mas aquela moda antiga roots. Sabe? Só que eu nunca tinha parado pra comprar nada lá, até porque evito manter gordice em casa. Até que a gordice veio até mim (até nós, na verdade, que a Nina também foi agraciada) e ó, I REGRET NOTHING!

O Cláudio, à frente da confeitaria que existe desde a década de 1930, preparou uma fornada fresquinha com alguns dos hits da casa e mandou pra gente. E tava tudo tão maravilhoso que eu tô pensando em rever minhas regras sobre essa coisa de manter ou não gordice na despensa. Afinal, numa emergência é sempre útil.

Provamos os minidogs (na real, os bons e velhos enroladinhos de salsicha), de massa leviiinha e bem gostosa. Continuando no tradicionalismo, também comemos o mil folhas com massa de fabricação própria e recheio de creme baunilha (mas tem também de chocolate, baba de moça e doce de leite, a R$ 5 a unidade). Tava ó, show.

Além disso, também veio um dos lançamentos da casa (que sempre tá investindo em novidades pra fazer parzinho com clássicos como os petit fours, que saem aos quilos, coisa de 10kg por dia), a Torta Rio. Se liga: pão de ló levinho com baunilha, recheio de creme de limão com cachaça, coberta por açúcar e cacau imitando o calçadão de Copacabana. Deliciosa, fresquinha, levinha, suave, tudo lindo (R$ 80, a versão grande).

Mas o melhor, olha… o melhor foram as palhas italianas feitas com brigadeiro branco. Melhor coisa da vida. O namorado da Nina definiu as dita cujas como “bolinhas de prazer” e “pedaços de sonho” e, cara, ele não tava nem um pouco equivocado. A parada é do mal, de tão boa (R$ 6,30 por 100g).

Belo Horizonte: Trindade

Author:
IMG_2231

Passei um fim de semana prolongado em Belo Horizonte (no começo do ano, perdão pela demora!) sendo feliz, e meu marido e eu decidimos comemorar o nosso aniversário de sete anos de namoro/casamento/união estável/primeira vez que a gente ficou com um jantar por lá. Mas vejam só: achar um restaurante maneiro da capital mineira que fique aberto no domingo à noite é mais difícil que encontrar o Wally (e a bengala, o binóculo, a máscara, tudo junto e misturado).

Dispensando os japoneses e as pizzarias, tivemos que antecipar a comemoração pro sábado, e ficamos entre três opções muitíssimo bem indicadas: Taste Vin, Hermengarda e Trindade. Pelas minhas pesquisas (sim, eu obviamente pesquiso tudo), fiquei entre os dois últimos, mas me decidi pelo Trindade quando questionei amigos e ouvi o nome do restaurante dos chefs Felipe Rameh e Fred Trindade em uníssono como resposta. Então tá, né? Trindade it is.

Pão com ovo gourmet

Pão com ovo gourmet

Estávamos voltando de Ouro Preto, nos atrasamos e perdemos a reserva, mas por sorte ainda havia alguns lugares disponíveis quando chegamos. Sentamos em uma mesa do salão e desistimos da ideia minutos depois: a acústica é péssima e é uma barulheira só. Pena, porque o ambiente é bonito. Rumamos então pra varanda, também super agradável, com samambaias sobre as nossas cabeças.

E, vejam só, se não achei nenhum personagem magricelo alto de blusa listrada de vermelho e branco, óculos e gorrinho, demos de cara com o Tostão (o suficiente pra deixar o marido, fanático por futebol, todo bobo).

IMG_2232

Por ser um restaurante contemporâneo de referências brasileiras, fomos logos nas entradas mais adequadas à ~~proposhta~~: canapé de ovo de codorna estrelado com azeite trufado (simples e delicinha, mas caaaro, R$ 38) e porção de coxinha com catupiry à parte (fritura perfeita, crocante, tempero gostoso, e olha que eu não sou da tribo dos adoradores de coxinha, R$ 27).

Como prato principal, eu escolhi Magret de pato (servido com bananinha, aspargos e baroa rústica, um belo uso pra baroa, R$ 82), enquanto o marido foi de Porquinho prensado (barriga de porco crocante, cozida a baixas temperaturas e prensada, acompanhada de legumes orgânicos, R$ 58). Sou desesperada por barriga de porco e por pato, e fiquei apaixonada pelos dois. O meu magret estava no ponto perfeito, sem nenhuma nervura, nada. A barriga de porco era de fato crocante, e a gordura derretia na boca, como deve ser. Os acompanhamentos leves e gostosos (orgânicos ❤️) caíram lindamente bem, só vou ficar devendo as fotos porque ficaram indigentes.

IMG_2240

Só as entradas e os pratos principais foram suficientes pra lotar a gente de comida, mas não comer a sobremesa me pareceu um erro. Pedimos o Vertical de queijos e doces da fazenda, uma tábua com vários tipos de queijo (grana padano, catupiry, de cabra…) combinados com doces de velho (goiabada, doce de leite, doce de figo…, R$ 16). A porção era pequena, mas eu já não estava aguentando muita coisa, então tudo bem.

Serviço
Rua Alvarenga Peixoto 388, Lourdes, Belo Horizonte
+55 31 2512-4479
Terça e quinta, das 18h a 0h. Sexta e sábado, das 12h às 16h e das 19h a 0h. Domingo, das 12h às 17h.
Preço: $$$$

ass-4-liv

Jardim Botânico: Olympe

Author:
casa comigo, cavaquinha?

Nenhum restaurante me fez tão feliz no Rio quanto o Olympe. Fui na Lasai no meu aniversário, foi mágico, incrível. Mas não tem pra ninguém (está todo mundo liberado pra tentar me provar o contrário, viu?). Do ambiente ao atendimento, do primeiro ao último prato, o carro-chefe dos Troigros é imperdível para quem está querendo comer muito bem (e podendo gastar uma pequena fortuna).

olympe-couvert

Não há pratos avulsos no cardápio, mas existem diversas possibilidades de montar seu próprio menu ou você pode escolher o menuzão incrível harmonizado que você deixa tudo por conta do chef. Dessa vez, preferimos o menu chamado “A Criação” em que a gente escolhia 4 pratos + 1 sobremesa e montava o próprio menu degustação (R$350, por pessoa). Lindo.

olympe-terrine

cachaça, espumante da casa, vinho tinto ao fundo, mas quem está contando…

E tudo se inicia com o ótimo couvert com os famosos biscoitos de polvilho com curry. Meu jantar começou pelo Terrine de foie gras e palmito pupunha, rapadura, fleur de sal, que veio acompanhado de uma cachacinha deusa. Espetacular, desse que faz a gente falar meia dúzia de palavrões. Cheguei a pensar que poderia comer isso a noite inteira, mas então chegou minha Cavaquinha confit na manteiga com favas de baunilha da Bahia, dedo de moça e batata crisp que foi a melhor cavaquinha que eu já comi em toda minha vida. Da categoria meia dúzia de palavrões + uma tristeza profunda quando acabou.

casa comigo, cavaquinha?

casa comigo, cavaquinha?

olympe-leitao

leitão delicio.

Os próximos pratos, também excelentes, jamais chegaram aos pés dessa cavaquinha. Foram maravilhosos, porém. Leitão crocante, farofa panko-cacao e maçã fuji assada, muito bom, saboroso e do tamanho certo. E Wagyu assada 48h, feijão glacê e blueberries, e aipim folhado – que eu confesso me deu água na boca só de lembrar e meu estômago se manifestou em protesto, isso porque recentemente parei de comer carne (pelo menos seis dias por semana).

olympe-wagyu

lembram da trinca de bebidas da entrada? então, explica a falta de foco da foto. brigada. de nada.

De sobremesa, uma tortinha de chocolate que não me provocou muitas emoções. Não tantas quanto lindíssimo cheesecake desconstruído da minha mãe. Impressionante como ando dando azar com sobremesas por aí…

cheesecake obra de arte

cheesecake obra de arte

tortinha boa, mas que só ganhou foto aqui porque quando chegou eu quase falei: "moço, a minha veio co baseado".

tortinha boa, mas que só ganhou foto aqui porque quando chegou eu quase falei: “moço, a minha veio co baseado”.

Recomendo muitíssimo para uma ocasião especial, não esqueçam de reservar. Agora, eu vou ali economizar dinheiro e vender umas ações pra ver se eu consigo experimentar o menuzão incrível ainda nessa vida. 😉
Rua Custódio Serrão 62, Lagoa – RJ
+55 21 25394542
Almoço 12:00 / 16:00 (seg-sex) Jantar 19:30 / 00:30 (seg-sáb)

$$$$

ass-4-nina

As chicks


Liv Brandão.
30 anos, jornalista, libriana. Fala muito e basicamente sobre séries, comida, música, moda e beleza. O que já rende um bom papo de bar, né?


Nina Ribeiro.
29 anos, publicitária, feminista. Escreve sobre moda, bebe uísque, ama gatos e come absolutamente tudo (que não seja alérgica).

Facebook By Weblizar Powered By Weblizar

Quanto vale o show?


Disclaimer

A gente é legal, mas não se responsabiliza por cardápios, preços e horários de funcionamento divulgados nesse blog. Sempre cheque as informações antes de sair de casa!

Siga também

Contato

falecom@deepfriedchicks.com.br